CASTRAR OU NÃO CASTRAR, EIS A QUESTÃO!

Dra. Claudinha

CASTRAR OU NÃO CASTRAR, EIS A QUESTÃO!

Pois é, nossa musa Amarillys foi castrada. Mas não pensem que a decisão foi fácil. Ela é tão linda……. pensava eu, médica veterinária com quase 30 anos de profissão! Ai, os bebezinhos Goldens…quanta fofura!! E pensei, pensei, ponderei….e assim o tempo passou….de filhotona fofíssima, Amarillys entrou no cio….e ai vieram alguns problemas.

Cadelas sangram, não como mulheres, não é menstruação, mas algumas sangram mais do que outras. É o proestro, período que antecede a ovulação. Amarillys é grande e sangrou bastante. Moramos em apartamento. Foi trabalhoso. Fraldas não cabem, então foi fralda geriátrica mesmo. Cortava o local do rabo. Punha e ela? Corria por toda a casa tentando tirar a fralda. Às vezes, minha vigilância diminuia. E? mais uma fralda perdida!! E limpa chão, troca roupa de cama e passam-se dias. Há consenso teórico que esta fase do ciclo estral das cadelas dura cerca de 7 a 10 dias. Mas falamos de ser vivo! Não é nada exato e nossa musa sangrou por 21 dias!! Pus-me alerta e cansada de tanto limpar! Claro, isto poderia indicar alguma anormalidade hormonal e sem dúvida era cansativo não poder sair com ela a passear à vontade e limpar, limpar, limpar….porém, e os filhotinhos? meus netinhos? e os pretendentes caninos belíssimos? e a delícia que é ter uma ninhada em casa? Racionalmente é preciso computador os gastos. Um animal de estimação requer responsabilidades financeiras. Dois, três, mais ainda!

Bem, como profissional sempre indiquei castração precoce. Gatas e cadelas devem ser castradas até os seis meses de idade. Comprovadamente isto é benéfico para prevenção de câncer de mama e útero. À medida que os cios ocorrem esta proteção diminui. Isto é fato!

Se você não quer que sua cadelinha tenha crias, definitivamente a opção é a castração. Jamais o uso de contraceptivos, que não são seguros. Outro mito é que cadelas tem que ter uma cria. Nada comprova esta necessidade e o fato de ter crias não as protege de câncer. Mas você quer que a natureza siga seu curos normal. Ok, deixe-a ter crias e a castre.

Quanto aos filhotes, são lindíssimos mesmo. Contudo, há tantos cachorrinhos precisando de um lar…produzir mais? E depois que nascessem? Eu os doaria? Será que conseguiria?? Dificilmente. Os venderia? Há quem pense que quem se dispõe a pagar valoriza mais. Outros pensam que quem paga por um filhote está tornando-o um objeto mercantil e objetos podem ser trocados, abandonados, vendidos. Não tenho uma opinião fechada sobre isto. Minha experiência mostra casos de adoção muito felizes e casos de compra muito felizes. E o contrário também.

Por fim, decidi pela saúde dela, castrando e prevenindo o câncer de mama. Ela está ótima. Aliás, 24 horas depois, nem parecia que havia sofrido uma intervenção cirúrgica. Correu tudo bem! Claro que com um pós-operatório cuidadoso com antibióticos, análgésicos e colant (olhem na foto, roxo, fofo!) próprio para o pós-cirúrgico. Tivemos o conforto de fazer num Hospital Veterinário sério, confortável e com excelentes profissionais. Breve serão tirados os pontos. Está em repouso forçado. Doida para voltar a correr.

Eu, agora sinto-me tranquila. Castrar foi um ato de amor!

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *