ZOOLITERATURA: POEMAS – MISTER MISTÓFELIS, T.S.ELIOT

Zooliteratura

ZOOLITERATURA: POEMAS – MISTER MISTÓFELIS, T.S.ELIOT

MISTER MISTÓFELIS

Precisas conhecer Mister Mistófelis!

Um misto de Felino e de Mefisto —

(Dúvida alguma sobre isto!).

Que zombem, mas não posso numa estrofe lhes

Dizer o que dele tenho visto.

Informa-se em alquímicos in-folios.

Tem todas as patentes, monopólios

Para exercer performances e truques

Que herdou de condes, dráculas e duques.

Na prestidigitação

E nos passes que realiza,

Ilude qualquer pesquisa

E cria nova ilusão.

Os mágicos do mundo inteiro estimam-no

Por ser de todos o maior prestímano.

Um, dois e três!

E era uma vez!

E vejam vocês!

Digo e estou certo.

Ninguém decerto

Chegou nem perto

Do Gato Mago Mefisto-Félix!

Ele é pequeno e quieto, a cor é preta

Desde a ponta da orelha ao rabo esguio;

Esgueira-se na mais estreita greta

E se equilibra no mais frágil fio.

A carta que quiser, fácil afana

E é destro em dados, varas de adivinhos;

Ele sempre te engana que tem gana

De andar à caça apenas de “peixinhos”.

Tira tudo do estofo da casaca,

Faz milagres com a caixa de surpresa;

Se um garfo lá se foi ou falta a faca,

E achas que te enganaste ao pôr a mesa –

O talher que ainda pouco evaporou-se

Surge num fosso como se osso fosse!

Vejam vocês!

Pois estou certo

Que ele é decerto

O mais esperto

O Gato Mago Mefisto-Félix!

Mostra um ar vagamente alienado

Quando sua modéstia está me jogo…

Mas sua voz ouviu-se do telhado

Quando foi chamuscado pelo fogo.

E ouvimo-lo também ao pé do fogo

Quando ele faz das suas no telhado…

(Pelo menso na poltrona sabemos que ronrona)

Eis aqui o atestado detalhado

De seu poder de mágico inconteste:

Certa vez a família em peso abala

A buscar no jardim inteiro 0 peste

Enquanto ele dormia em plena sala.

E fez agora aparecer, frajola,

Sete gatinhos dentro da cartola!

Vejam vocês!

Não estou certo?

Não ha decerto

Um mais esperto

Que o Gato Mago Mefisto-Félix!

 

Eliot, T.S. Os gatos: tradução Ivo Barroso – São Paulo: Companhia das Letrinhas, 2010

 

 

 

 

 

comentários